Etc Matérias NA Tecnologia

Ar-condicionado automático: como funciona?

Ar-condicionado automático: como funciona?

Hoje em dia, quase todos os carros vendidos no Brasil possuem ar-condicionado de fábrica, com algumas raras exceções na gama de entrada e em alguns veículos comerciais. Este item que no passado recente era um artigo de luxo, opcionalmente oferecido com preços altíssimos em muitos casos, hoje em dia ainda é caro para instalar se o carro não tiver o equipamento vindo da linha de montagem.


O que era luxo, na verdade é um item imprescindível em qualquer automóvel, ainda mais num país de clima tropical como o Brasil, onde as médias de temperatura são bem mais elevadas que na Europa, por exemplo. Então, não se trata de um luxo, mas de uma necessidade.

Embora parte dos modelos mais baratos, esse dispositivo é apresentado com comandos manuais, onde o condutor precisa ajustar velocidade do ventilador, temperatura do ar e a posição onde o ar frio precisa atingir, seja no para-brisa, nos pés, de frente aos bancos dianteiros ou no intervalo entre eles. Mas, num ar-condicionado manual, a temperatura não sempre será a mesma programada pelo condutor, diferente em relação ao posicionamento do fluxo de ar e ventilação.

Dessa forma, o condutor precisará perceber quando a temperatura está adequada para ajustar os controles de forma a garantir um ambiente mais agradável a bordo. Mas, nem todo mundo se apercebe dessa necessidade e acaba deixando ou muito gelado ou mais quente. Por isso, não só para manter um habitáculo agradável, mas também para gelar o espaço dos ocupantes de forma mais rápida e racional, existe um dispositivo de ajuste automático, que é o chamado ar-condicionado automático.


Ar-condicionado automático: como funciona?

Automático

Apesar de o termo parecer ser semelhante ao de uma transmissão, que pode ser manual ou automática, envolvendo assim diferenças radicais em sua concepção, no caso do ar-condicionado automático, apenas o ajuste de temperatura é almejado pelo sistema eletrônico. Todo o restante é igual ao do sistema manual, incluindo compressor de ar, correia, dutos de refrigeração, sistema de circulação, entre outros.

Nesse caso, apenas o controle do dispositivo tem gerenciamento eletrônico. Nesse caso, o condutor escolhe uma temperatura e assim o sistema irá mante-la em qualquer situação, não importando se estiver mais frio ou mais quente lá fora. Geralmente feito através de comandos físicos, que em alguns carros tem parte ou todo o ajuste da climatização feita pelo display da multimídia ou display dedicado com tela sensível ao toque, mas este é muito novo e apenas poucos carros possuem. Uma observação importante é que nem todo dispositivo com tela digital é automático, pois apenas mostra a temperatura ambiente e mais nada.

Num ar-condicionado automático comum, geralmente o dispositivo tem seu painel com um display exclusivo, onde é informado ao motorização informações relativas ao funcionamento. Pode ser touchscreen ou não, nesse caso com a presença de botões. O painel basicamente vem com funções de recirculação de ar (presente também no manual), além de posição de saída de ar para cima, frontal e inferior (pés), tendo ainda um específico para desembaçamento do para-brisa. Há também outro para o desembaçamento (elétrico) do vidro traseiro.

Alguns aparelhos possuem a função de desembaçamento rápido do para-brisa, o que é útil em dias muito frios ou em mudança rápida de temperatura exterior e interior. Claro, o ajuste de temperatura não apenas gela, mas também aquece o ar ambiente se desejado, como num ar-condicionado manual. Alguns modelos apresentam até três padrões de funcionamento, incluindo um modo econômico, um rápido (de forma geral) e um normal.

Mas e a função “Auto”? Essa é a grande diferença, já mencionada, em relação ao manual. Programa-se a temperatura e o ar-condicionado automático irá acelerar a refrigeração no menor tempo possível até atingir o nível desejado pelo condutor. Se a temperatura exterior influenciar o ambiente, o ar fará o ajuste automaticamente para que o ambiente continue do jeito que o motorista escolheu.

No manual, é preciso ficar mudando de temperatura de acordo com a variação do clima. A ventilação é alterada pelo gerenciamento, reduzindo a velocidade para manter o ar constantemente frio. Se ficar quente de repente (porta ou vidros abertos), o ventilador acelera para compensar.

Obviamente, o condutor terá de perceber quando o ambiente se torna agradável ou não. Com a grande potência dos dispositivos de climatização hoje em dia, com pouco tempo, um bom ar acaba gelando muito as mãos do motorista quando no volante, pois estão próximas de jatos dos difusores. Até mesmo o ambiente pode ficar frio o suficiente para incomodar, especialmente em viagem longa. Com todos os ajustes à mão, no automático (display digital), o condutor não precisa se preocupar com a climatização.

Ar-condicionado automático: como funciona?

Dual zone

Em alguns carros, a climatização pode apresentar duas ou mais temperaturas, chegando a quatro. O HVAC, é um sistema que possui sensores que medem a temperatura nos dois lados do carro e lê o pedido do display, ajustando assim o fluxo de ar e a temperatura de forma individual. Dois HVAC geralmente são usados em sistemas tri-zone ou quadri-zone, sempre com controles digitais e individuais de temperatura e circulação. Na função de sincronização, ambos terão os mesmos ajustes. Em poucos carros, pode-se isolar a climatização apenas ao condutor, a fim de reduzir o consumo.

 

 

Ar-condicionado automático: como funciona?
Nota média 5 de 1 votos

COMPARTILHE
WhatsApp

Quem somos

O Fotocampus é um dos maiores sites automotivos do Brasil, trazendo todas as novidades sobre carros por mais de 12 anos. Saiba mais.

Notícias por email

also thailand-option.com

profvest.com

http://designprof.com.ua